- voiz Libre

Salvador de Bahia- Sem CORDAS e sem AMARRAS: um CARNAVAL para todos !

Pedro D-Lita - 17 febreiro 2013
De Paris- Depois de ver tantos posts no facebook sobre a violência, e o carnaval "apartheid" de Salvador, resolvi dar uma humilde opinião.

As brigas no carnaval em Salvador não são nenhuma novidade, infelizmente é cultural, jovens fascinados pelo combate físico, se preparam durante o ano para tirarem suas diferenças na semana de festa. Sem falar da violência policial que é medieval e institucional. Acredito que a tendência é aumentar com a perda do espaço público para a montagem desordenada dos camarotes, e com o aumento dos participantes nos blocos de cordas, a cidade perde espaço físico para acolher o povo local. 

Eu fico pensando este carnaval sem as cordas, tenho certeza que não sobraria nenhum *"parmalate" para brincar o carnaval, além de estarem despreparados espiritualmente para se misturarem, não saberiam lidar com os vários imprevistos que acontecem nas ruas da cidade neste período.
Seguindo as estatísticas, mais dos 75% desses “parmalates” que estão na foto, não são de Salvador, mas ajuda a sustentar uma indústria equivocada, mas geradora de um número absurdo de empregos. Uma pena que grande parte dessa grana, vai para jovens bem nascidos (neo liberais), que tomam conta deste mercado dos blocos de cordas.

Eu particularmente não curto as "levadas" dos blocos de cordas, prefiro acompanhar as saídas dos blocos afros, ou sair atrás dos trios independentes sem cordas, acho que é uma ótima oportunidades para assistir concertos gratuitos, com grandes artistas como: Armandinho, Moraes Moreira, Paulinho Boca de Cantor, Margareth Menezes, Baiana System e varias outras bandas incríveis ofuscadas pelo mercado.

Para que este carnaval do apartheid não existisse, o Brasil teria que ser re-descoberto, ou ter tido uma outra relação colonial, ou políticas afirmativas massivas!
Talvez se fossemos colonizados pelos ingleses ou pelos franceses seria diferente...será?

Pedro D-Lita
(Carioca por acidente, criado entre o Rio de Janeiro e alguns bairros populares de Salvador.)

*Parmalate é uma expressão local da cidade de Salvador, muita usada por jovens periféricos para falar dos jovens bobos e criados em playground.


  • Facebook
  • Google Bookmarks
  • linkedin
  • Mixx
  • MySpace
  • netvibes
  • Twitter
 

EVENEMENTS

NEWSLETTER

BREVES

A l'aise !
40 000 euros de factures de taxi auprès de la compagnie G7 en dix mois en note de frais ! De la part d'Agnès Saal pdg de l'INA.
 
Le poumon de la planète s'essouffle...

Inquiétant, d’après une étude récente, la forêt amazonienne éponge de moins en moins le carbone émis par l’homme.

 
Malaga à contre-sens
Malaga (Andalousie) durement touchée par la crise opte pour la culture et ouvre un musée Pompidou. La ville mise sur 250 000 visiteurs par an.
 
Le rap dévore Monica Lewinsky
De Beyoncé à Eminem, Monica Lewinsky est citée pour faire référence à la fellation. Chez Beyoncé, son patronyme devient un verbe, synonyme «d'éjaculer partout sur vêtement»
 
Une ministre de l'écologie qui ne bouge pas !
Pic de pollution à Paris en mars. Refus de la ministre Royal de prendre des mesures. Tandis que la Maire de Paris relève : "La santé des Parisiens ne se négocie pas. Je maintiens ma demande de mise en place de la circulation alternée.»

FACEBOOK

Facebook