21-06-2011 19:45:40

Brasil: inverno bucólico das artes

Artistas de todo país se reúnem em Minas e Região Serrana do Rio para aquecer festivais culturais e boa gastronomia.
Por Leonardo Martes (Juiz de Fora/MG – Brasil)


A chegada do inverno no próximo dia 21 de junho, apesar do frio, traz boas oportunidades de entretenimento e aprendizado. Do início de julho até meados de agosto, cidades históricas de Minas e da serra fluminense se preparam para receber variadas atrações artísticas e da gastronomia, como apresentações musicais, teatrais e de dança até as oficinas dos mais variados gêneros. Petrópolis, Piacatuba, São João Del Rei, Ouro Preto, Mariana e Diamantina são algumas das inúmeras localidades por onde o movimento artístico-cultural tomará conta de locais públicos e privados neste período, além, é claro, de Juiz de Fora, que, entre os dias 17 e 30 de julho, mais uma vez será sede para a realização do 22º Festival Internacional de Música Colonial Brasileira e Música Antiga, cuja maior expectativa é em relação à apresentação do Grupo Uakti, no dia 22 de julho.

Petrópolis, na região serrana do Rio de Janeiro, é a primeira cidade a entrar na onda dos festivais de inverno. De 1º a 17 de julho, serão mais de 40 eventos espalhados pela cidade imperial. A programação, segundo informações da professora da Escola de Música da UFRJ, Myrian Dauelsberg, sempre é elaborada com ênfase especial para a música clássica e concebida com o intuito de formar novas platéias para o este gênero. Myrian também assina a direção artística do festival.

Antes das apresentações dos concertos, neste ano haverá ainda palestras. E uma grande novidade é a abertura para a cultura popular nesta festa, cujo destaque fica por conta de atrações como a Orquestra Voadora e seu carnaval fora de época (dia 3), “Os saltimbancos”, peça teatral dirigida por Maria Lúcia Priolli e coreografada por Ruben Gabira (também no dia 3), Zeca Baleiro (dia 7) que comemora 13 anos de carreira, e a exibição do filme “O samba que mora em mim”, de Geórgia Guerra-Peixe (dia 9). Entre as apresentações eruditas, atenção especial para a Orquestra Sinfônica de Barra Mansa (dia 17), que mostra o ponto alto de educação musical desenvolvido na cidade que leva o ensino de música a alunos da rede pública municipal de educação. Mais detalhes acesse www.fipet.com.br.

Entre os dias 8 de julho e 7 de agosto, acontece a 43ª edição do Festival de Inverno da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Ele será realizado nas cidades históricas de Tiradentes e Diamantina; na capital mineira Belo Horizonte, Brumadinho e Cataguases, na Zona da Mata. De acordo com o professor Maurício Campomori, diretor de Ação Cultural da UFMG, o objetivo é apoiar o desenvolvimento da cultura, da arte e do conhecimento em diversos espaços. “As atividades estarão predominantemente relacionadas ao pensamento cinematográfico, ao vídeo e às mídias digitais”, destaca Campomori. “Nosso objetivo é que o evento funcione como uma teia de ações que se irradiam pelo estado”, explica o professor, ao falar da multiplicidade de temas e destinos da mostra que, na década de 70, ocorreu em 14 cidades simultaneamente. Para ele, “isso é típico dos artistas e de seus espaços de produção. O festival vive o mesmo processo, pois funciona como um corpo vivo, pulsante”, conclui. Outras informações acesse www.ufmg.br/festival.

A bela cidade histórica de Ouro Preto, terá seu aniversário comemorado durante o Festival de Inverno de Ouro Preto e Mariana, que acontece entre os dias 8 e 24 de julho. Para abrir o evento, samba de primeira com Dudu Nobre. No dia seguinte, a poesia tomará conta do evento, com declamação durante uma viagem de trem. Grandes nomes da música foram convidados para a festa, como Hermeto Pascoal (dia 15), Milton Nascimento e Orquestra Rumpillez (dia 16), Paralamas do Sucesso (dia 22), Otto e a inseparável dupla Zé da Velha (trombone) e Silvério Pontes (trompete) para encerrar no dia 24.

O festival, que é considerado um dos mais tradicionais do estado, segundo o coordenador geral Fabrício Fernandino sobressai-se pela diversidade de atrações que, este ano, seguem o tema “Vilas de Minas”, uma homenagem a Mariana, Ouro Preto e Sabará. As cidades, fundadas em 1711 e conhecidas como Vilas do Ouro, recebem ainda literatura, espetáculos de teatro, exposições e 42 oficinas artísticas. 

NOSSA GENTE

Falou em cultura, pensou em Minas Gerais. Nossa região tem um celeiro cultural invejável e a Zona das Vertentes mantém seu nome entre os encontros de arte. Realizado pela Universidade Federal de São João Del Rei, o 24º Inverno Cultural de São João tem uma perna em Tiradentes. Através de oficinas, exposições, shows e seminários, em diferentes linguagens de cultura e da arte, o evento vai integrar toda a região. Marcos Vieira, coordenador geral do evento, diz que “todo ano, há pequenos cursos para iniciantes e profissionais de arte e cultura e oficinas específicas para entidades e associações locais”. Sobre os espetáculos apresentados, ele afirma que, além da seleção feita por meio dos inscritos no edital, sete coordenadorias temáticas sugeriram peças e shows. Os recursos foram captados através das leis de incentivo à cultura estadual e federal. O encontro acontecerá entre 16 e 30 de julho.

O violoncelista Jaques Morelenbaum e o percussionista Naná Vasconcelos, são a novidade para o festival. Os nomes dos músicos foram confirmados entre os oficineiros desta edição que presta homenagem aos “Sentidos do Corpo” em suas mais diversas formas. O tema, segundo Marcos Vieira, vai dialogar com as principais atrações, como o espetáculo “Tatyana”, da Cia de Dança Deborah Colker, um dos destaques da programação que pode ser conferida no endereço eletrônico www.invernocultural.ufsj.edu.br. O professor Alberto Ferreira da Rocha, pró-reitor interino de Extensão e Assuntos Comunitários da UFSJ, promete que a oficina vai “extrapolar os termos físicos do corpo e abordar suas possibilidades e seus vários sentidos”.

SABOR DE MINAS

A aconchegante Tiradentes, em agosto, volta a ser movimentada pelo sabor. Na segunda quinzena do mês, a cidade histórica abre as portas para o seu Festival de Cultura e Gastronomia. Lugar para chefs renomados e ainda não definidos, o local exibe jantares exuberantes, palestras e cursos, a maioria, de acordo com a organização, voltada para a autêntica cozinha mineira.

Antes disso, o sabor de Minas é destaque na pequena Piacatuba (distrito de Leopoldina), onde será realizado, entre os dias 27 e 31 de julho, o 9º Festival de Viola e Gastronomia. A produção valorização da música de Minas são algumas das premissas da mostra, que traz apresentações marcantes de violeiros como Zé Mulato & Cassiano, Almir Sater, Elomar, Pena Branca, Pereira da Viola, Xangai, Célia & Celma, Orquestra de Viola, Chico Lobo, Geraldo Azevedo e Viola Urbana. Outras atrações você confere no site do festival www.festivaldepiacatuba.com.br. Maria Lúcia Braga, uma das organizadoras do festival (que conta com o apoio da Fundação Cultural Ormeo Junqueira Botelho, de Cataguases), diz que “não contente em trazer esses grandes artistas, o Festival de Viola presta um serviço à cultura brasileira e tem uma mostra competitiva disputada em duas etapas – regional e nacional – para apontar novos talentos”.

Maria Lúcia comemora as 35 mil pessoas que vieram prestigiar o festival em 2010. “Razões para isso não faltam. A primeira, chega a ser óbvia é a qualidade das atrações musicais. A outra são as delícias oferecidas em restaurantes e bares. Ou seja, em um mesmo lugar, podem ser encontradas duas das maiores paixões dos mineiros: a música de viola e a culinária das Gerais”, engrandece a organizadora, confiante de que o cenário bucólico e a arquitetura predominantemente do século XIX, agregados à natureza exuberante do mar de morros da região, pode ser a principal chave para a hospitalidade e gentileza que, nesta época do ano, são a cara dos festivais de inverno.



1
 

Eventos

La morte amoureuse de Théophile Gautier

La morte amoureuse de Théophile Gautier au Théâtre Darius Milhaud

« Memories »

« Memories » de Philippe Lebraud et Pierre Glénat

Paul Klee, Peindre la musique

L’exposition numérique rend hommage aux deux passions de Klee, la musique et la peinture, et révèle les gammes pictural...

Alô !!! Tudo bem??? Brésil-La culture en déliquescence ! Un film de 1h08 mn

Photo extraite du film de Mario Grave - S'abonner sur notre canal Youtube  pour avoir accès à nos films :

Mundo vintage (clicar no título)

Jean Segura, collectionneur d'affiches de cinéma : « J'en possède entre 10 000 et 12 000 »

Journaliste scientifique, auteur de plusieurs ouvrages, concepteur du site ruedescollectionneurs, Jean Segura est aussi un passionné et un spécialiste de l'affiche de cinéma ancienne. Rencontre, ici.


Destaques de París

« Loading, l'art urbain à l'ère numérique »

jusqu'au 21 juillet 2024 au Grand Palais Immersif


            


Notícias

Madrid, 11 mars 2004

L'Espagne, mais aussi l'Union européenne, rendent un hommage solennel lundi aux 192 victimes de 17 nationalités assassinées il y a 20 ans à Madrid dans des attentats à la bombe qui marquèrent le début des attaques islamistes de masse en Europe.

 
Pablo Neruda a-t-il été empoisonné ?
Cinquante après, le Chili relance l'enquête sur la mort du poète et Prix Nobel de littérature survenue sous la dictature du général Pinochet. Cancer de la prostate ou empoisonnement ?
 
Paris 2024 : les bouquinistes ne seront pas déplacés
Paris 2024 : les bouquinistes des quais de Seine ne seront finalement pas déplacés pour la cérémonie d’ouverture des JO « Déplacer ces boîtes, c’était toucher à une mémoire vivante de Paris » a déclaré à l'AFP Albert Abid, bouquiniste depuis dix ans au quai de la Tournelle.
 
Sophie Calle et la mort !
Sophie Calle, artiste de renom, achète des concessions funéraires au USA en France et ailleurs. "J'achète des trous" dit -elle à propos de sa mort.
 
53 journalistes et proches de médias tués dans la guerre Israel- Hamas
Cinquante-trois journalistes et employés de médias ont été tués depuis le début de la guerre entre Israël et le Hamas, selon le dernier décompte du Comité pour la protection des journalistes (CPJ)