Venice - cine

Mostra Internacional de Veneza 2014: “Filme do diretor Iñàrritu abre com aplausos, risos e emoção”

Lica cecato - agosto 29 - 2014
Nossa correspondente Lica Cecato retrata a irreverência do mexicano Alejandro González Iñàrritu no seu filme “Birdman”

 Um monólogo reflexivo, ou melhor um diálogo intenso entre o ator e o seu subconsciente,  representado por um pássaro-homem, negro e herói. O filme abrange o homem e o ator,  sua vida, percurso e morte e foi elaborado e pensado muito antes do provável suicídio de Robbin Williams, há pouco mais de duas semanas atrás. Talvez essa coincidência tenha deixado todos muito perplexos. Selecionado para ser o filme de abertura na manhã de 27 de agosto de 2014, da 71 Mostra Internazionale d’Arte Cinematografica de Veneza, Birdman ou A Virtude Inesperada da Ignorância,  dirigido por Alejandro González Iñárritu, distribuído por Fox Searchlight,  foi sem dúvida uma ótima escolha. Aplausos, risos e emoção na Sala Darsena, renovada para o evento, abriram a manhã como sons de trompas, mas eram tambores.

Comédia de humor negro, irônica, a história de um ator (Michael Keaton), famoso por ter interpretado um super-herói,

esquecido pelo público e um pouco enlouquecido pelo efeito que a fama teve na sua vida, sonha em voltar a ser reconhecido. Dessa vez como bom ator, não somente como o astro alado que foi, ele tenta montar uma peça no clássico teatro St. James da Broadway. A peça que se chama “What we talk about, when we talk about love”  (Falamos sobre o que, quando falamos de amor) de Raymond Carver, é utilizada como uma almofada cheia de alfinetes que praticamente nos alfineta à todos, dentro e fora da tela. Consegue nos emaranhar como um novelo, colocando em jogo conflitos muito atuais, como por exemplo a diferença entre a vida real e a existência virtual de twitters, youtube, facebook e outras mídias.  O homem sozinho no seu nicho, no seu lixo, imaginando ser DEUS. A primeira cena do filme é de Michael Keaton levitando num quartinho que me fez lembrar a miséria cinza do filme “Brazil” de Terry Gilliam.

O ritmo e a escolha da música são geniais,  existe um contínuo pulsar que acompanha o coração das cenas, criados pelo baterista e compositor mexicano Antonio Sanchez.

A adrenalina dos bastidores de um teatro ou da filmagem à nível profissional, com o efeito visual, e os defeitos humanos que transparecem, formam um estranho casamento pop, uma moldura atual e perfeita para o retrato do individualismo exacerbado que vivemos. Nota-se inúmeras vezes no filme um grande amor por NY e o cenário natural que a cidade oferece.

BIRDMAN, o pássaro negro que também é uma espécie de dupla-vida, de grilo-falante, de um cri-cri exuberante, surrealista, quase um quadro de Max Ernst, é um tipo endiabrado que incita guerra, traduzida na sua linguagem, em filmes que estouram bilheterias por seus efeitos especiais, seus heróis e seus monstros. Trama embaralhada entre inside e outside, entre personagem e persona, lembra a consciência de estar atuando, como no teatro de Brecht. Nos envolvemos, somos cúmplices do Birdman, porque nós o criamos como expectadores e o amamos. Super heróis nem envelhecem nem podem perder seu charme. A película de Iñarritu não deixa dúvidas no seu final, onde é intrínseca a mensagem: THE SHOW MUST GO ON mesmo que para isso seja necessário um suicídio planejado.

Um elenco de STARS como Emma Stone, Naomi Watts, Zach Galifianakis, Edward Norton e Andrea Riseborough.

A escolha do ex-"Batman" Michael Keaton, lutando para recuperar a auto-estima e também da namorada do homem-aranha, dá um sabor pop e divertido ao filme.  

O filme é um dos 20 concorrentes para o Leão de Ouro no festival que vai até 06 de setembro.

Lica Cecato



  • Facebook
  • Google Bookmarks
  • linkedin
  • Mixx
  • MySpace
  • netvibes
  • Twitter
 

Eventos

Mundo vintage (clicar no título)

A la rencontre des placomusophiles
Qu'est-ce que la placomusophilie ? Le fait de collectionner les capsules de champagne et certains en possèdent jusqu'à 90 000... Car cette "petite plaque métallique" a une longue histoire. Découverte.

Destaques de París

Homosexuels et Lesbiennes dans l'Europe nazie.

Cette exposition entend rendre compte, grâce à de nombreux documents originaux, du sort des homosexuels et des lesbiennes sous le régime nazi,entre stigmatisation, persécution et lutte pour la reconnaissance. Lire la suite, ici.

Notícias

La vie de Brian Jones
Un documentaire de Patrick Bouder (2020) sur la vie de Brian Jones, le fondateur et guitariste des Stones, sera diffusé le vendredi 22 janvier à 22 h 40 sur Arte. Avis aux fans...
 
Cri d'alarme de la Sacem
La société musicale d'auteurs (Sacem) pousse un cri d'alarme autour des auteurs compositeurs, les laissé pour compte de la grave crise en 2021. Certains sont sans aucun revenus. 
 
Les cathos homophobes filmés dans la partouze
A Bruxelles, un eurodéputé du parti d'Orbán de Hongrie (anti avortement & anti couple gay) pris dans une «lockdown partouze» gay
 
La dernière dédicace de John Lennon aux enchères

Le site Goldin Auctions propose une mise à prix minimale de 400 000 dollars du dernier album dédicacé par John Lennon, à celui qui allait l'assassiner. Les enchères sont prévues sur 18 jours.

 
Du fric dans le slip du sénateur brésilien
De l'argent destiné à la lutte pour la pandémie détourné par un sénateur brésilien caché dans son slip. Un proche de mister Bolsonaro !