Rio de Janeiro - 

Brasil - O gigante acorda ?!

Luis Fabiano Soares - 20 de junho 2013
As manifestações nas ruas e praças das seguem a toda prova aqui no Rio de Janeiro e em todo o Brasil. Em inicio de inverno, vivemos nosso momento primavera árabe brasileira, nossas manifestações irmãs do movimento 20M , os manifestos de maio de 2011 espanhol.

As manifestações nas ruas e praças das seguem a toda prova aqui no Rio de Janeiro e em todo o Brasil. Em inicio de inverno, vivemos nosso momento primavera árabe à brasileira, as nossas manifestações são irmãs do movimento 20M espanhol, os manifestos de maio de 2011. Capitaneadas por redes sociais, tendo jovens como a maioria com a simpatia e presença de muitos de seus pais, a juventude, talvez maioria classe média universitária, digo um talvez, pois o movimento é ainda novo, pode ser mutante, transformante e transformado. Está no ar.

Teve como estopim o aumento das passagens de ônibus, e depois se desdobrou, multiplicou, expandiu nas reivindicações apartidárias anticorrupção, mais escola e educação e questionando os gastos bilionários com a copa.

Até que ponto o jovem classe média predomina nesse movimento?

Vivemos numa economia do quase pleno emprego, com uma taxa de 5,7% de desempregados, certamente um número importante para os dias de hoje, ainda mais num país em desenvolvimento e cheio de mazelas sociais como o nosso. Verdadeiras chagas abertas no coração das grandes cidades, as explicitas favelas, as péssimas condições de saneamento e moradia por parte da população, talvez a maior parte da população brasileira seja carente desses serviços básicos aqui no Brasil. Uma antiga vergonha nacional de mais de 60 anos, que a cada ano, a cada dia não melhora, e creio que piora. Aos olhos nus dos governantes e de toda a população, inclusive a esclarecida classe média que muitas vezes faz vistas grossas e agora surfa na onda dessas manifestações.

Enquanto isso o pais luta, gasta e é escolhido para ser sede de Copa do Mundo e Olimpíadas. Os organismos financeiros ofereceram mundos e fundos, bilhões a perder de vista. Estádios de futebol a custos bilionários e a população sem escolas, creches, hospitais, moradia... Demorou a população brasileira acordar e protestar. O gigante está se levantando aqui no Brasil.

Ainda inicial e incipiente essas manifestações de rua nas principais capitais do país, iniciadas a menos de uma semana, pipocam como uma onda,

uma corrente puxando a cada dia novas cidades e pessoas.

Algumas peculiaridades das manifestações daqui são a coincidência delas, de sua explosão inicial, junto com a copa das confederações, evento futebolístico organizado com ajuda da FIFA e sob total subserviência do governo brasileiro a esse órgão estrangeiro, impondo a permissão de bebidas nos estádios entre outras condições e atitudes exigidas, mudando a rotina do nosso futebol, respeitado mundialmente.

Outro ponto nada ingênuo a se destacar nessas manifestações é a massacrante cobertura dos grandes grupos de mídia capitalista do Brasil, sejam os grandes jornais impressos, a TV globo, principal emissora de TV aberta e suas sucursais espalhadas por todo pais, além do rádio e da jovem propagadora internet, dentro e fora das redes sociais. Cobertura quase 24h por dias manifestações, muitas vezes ao vivo em canal aberto e a cabo falando, filmando, mostrando, entrevistando manifestantes e especialistas. Nas bancas, todas as manchetes noticiam e as fotos escancaram as multidões nas ruas do Brasil.

Patrulhamento entre os manifestantes a fim de evitar qualquer bandeira partidária que se queira levantar nas manifestações. Mesmo assim é possível identificar grupos trotskistas. Muitos caminham nas cores brancas ‘pela paz’.

Bem, por enquanto todos os políticos respeitaram as manifestações e abriram se ao diálogo com as lideranças dos manifestantes. Há sinais de que as passagens de ônibus devem abaixar de preços. Os aumentos estão sendo revistos.

Ainda que existam muito baderneiros, grupos a fim de vandalismo, e alguns exageros da polícia, principalmente a de São Paulo, a maioria está gritando, é preciso ficar atento.

O movimento pode avançar mais.

E a Argentina, protestará como a gente? E os explosivos países vizinhos, seguirão o movimento?

 Rio de janeiro, 11h da noite de19-jun-2013.



  • Facebook
  • Google Bookmarks
  • linkedin
  • Mixx
  • MySpace
  • netvibes
  • Twitter
 

ÉVÉNEMENTS

VINTAGE & COLLECTIONS

Yesterday, la chanson la plus reprise de tous les temps

 Si « Yesterday » des Beatles est la chanson la plus reprise et la plus jouée de tous les temps, elle n'était à l'origine qu'une... recette de cuisine. Comment transformer des oeufs brouillés en un des plus gros succès musicaux du XXe siècle ? Micmag vous dit tout... Lire la suite, ici.

SORTIR À PARIS


Paris - Jusqu'au dimanche 13 mars 2022
Samuel Fosso

La Maison Européenne de la Photographie (MEP) présente, pour la première fois en France, une exposition rétrospective consacrée à Samuel Fosso réunissant plus de 300 tirages du dandy africain. Lire la suite, ici.


Maison européenne de la photographie
5-7 rue de Fourcy
Paris 4e
Métro : Saint-Paul ou Pont Marie
6 à 10 euros

BRÈVES

Journée nationale contre le harcèlement scolaire

Depuis le 1er janvier 18 enfants se sont suicidés en France et, chaque année, plus de 700 000 élèves sont victimes de harcèlement scolaire soit près d'un enfant sur dix. En savoir plus, ici.

 
Une messe pour la mémoire d'un cruel dictateur
Le 20 nov 2021 jour de la mort du dictateur Franco a eu lieu une messe à Grenade où assistait le numéro du PP (parti de droite). Une droite qui refuse le travail de mémoire et une reconnaissance des fosses aux 110 000 assassinés
 
Un enregistrement inédit de Lennon mis aux enchères

Estimé entre 27 000 et 40 000 euros, une cassette audio avec un enregistrement inédit de John Lennon va être mise aux enchères à Copenhague le 28 septembre. Il y chante une œuvre inédite, réalisée en 1970 lors d’un séjour méconnu au Danemark.

 
Brésil-Le ministre de l'environnement fier acteur de la déforestation
Cynisme en politique ! Salles, l'ex ministre de l'environnement est un fier acteur pris la main dans le sac du déboisement amazonien pour enrichissement familial.
 
Le salon Livre Paris devient un Festival
En 2022, le Salon du livre change de nom et de formule. Il s'installera, du 21 au 24 avril, au Grand palais de Paris, mais aussi dans la proche couronne parisienne et, à terme, dans toute la France.