13-01-2011 18:31:56


O Louvre, uma boa transação financeira.

Esta é uma pesquisa que chama a atenção em período de crise. O Louvre não sofre com as perturbações e é um peso pesado da economia francesa.
Por Hélios Molina


O número de entradas, assim que suas
rendas externas não param de aumentar ; 8,5 milhões de visitantes em 2010, um recorde absoluto, e desde 2001, a freqüência cresceu 67%.
Fato inédito na França, temendo certamente, uma interferência entre o debate cultural e o debate econômico, nenhum trabalho realmente sério ainda tinha sido feito sobre o Louvre, segundo uma pesquisa recente do centro econômico da Sorbonne sob os auspícios do professor Xavier Greffe (1), revelada 5 de junho passado, o primeiro museu do mundo contabiliza entre 600 milhões e um bilhão de euros de receita por ano. Como os dados datam de 2006, esses valores não incluem os 400 milhões de euros adicionais obtidos graças ao projeto Louvre Abou Dabi. Saiba, que dos 175 milhões de euros do seu orçamento anual a participação do Estado é de apenas 110 milhões de euros. Agora é possível compreender o impacto da empresa Louvre. É claro que os valores obtidos extasiaram os responsáveis desse famoso museu. E esses dados vem contradizer aqueles segundo os quais investir em cultura é sempre investir à perda. Aqui neste caso o Estado faz um excelente negócio e colhe os louros das grandes reformas, desejadas pelo presidente Mitterrand, para aumentar o museu. Seu prestígio não pára de crescer sobretudo à partir de 2005 com o fenômeno “O código Da Vinci” (Dan Brown e seu romance). Esta idéia corrobora uma outra pesquisa realizada em 2008 pela UNCTAD (comissão das Nações Unidas para o desenvolvimento), onde se evidencia que « as atividades culturais estão sendo uma das principais molas do crescimento, qualquer que seja o nível de desenvolvimento do país em questão ». A cultura contribui consideravelmente ao crescimento econômico mesmo nos países pobres. Mas, como o Louvre dá lucro ? Tem, é claro, o preço da entrada (fixado a 8.50 euros). O Louvre também aluga espaços para filmagens, recepções privadas, o que representa, diga-se de passagem, a considerável soma de 13.7 milhões de euros. E finalmente, há também os dividendos obtidos com a edição e os filmes. Ficamos sabendo através de outra pesquisa que um turista estrangeiro passa em média 2 dias e meio em Paris e mesmo o universo da arte, da pintura ou da escultura não fazendo parte da sua vida o visitante se sente forçado a ir ao Louvre para não passar vergonha quando voltar para casa. Assim, só o Louvre gera anualmente 391 milhões de receita turística. O ponto relevante do trabalho realizado por Xavier Greffe está no que diz respeito à influência econômica do Louvre. A receita fiscal bruta é avaliada entre 37 e 82 milhões de euros. É interessante também notar os empregos ligados ao museu. O Louvre emprega 2000 mil pessoas, mas é tal a sua abrangência que permite a quase 15000 outras viver e trabalhar nos restaurantes, hotéis e outros comércios ao redor. A sua importância transcende de muito a esfera da instituição Louvre. Numa época em que as verbas do Estado tendem a diminuir, a metade dos recursos financeiros do Louvre é oriunda do mecenato ou de aluguéis, o que leva certos críticos a dizer que o Louvre está na linha reta para a privatização. Pode ele continuar de maneira desenfreada essa busca de rentabilidade ? A afluência pode aumentar indefinidamente ? Não há limite ao número de visitantes ? O debate está aberto. Tudo estaria na santa paz se a ambição desmesurada de alguns grandes museus não tivesse trazido à tona muitas questões de ética junto aos conservadores. De um lado, os antigos, próximos do grande museu, denunciam frequentemente os perigos de tal deriva. De outro lado, os modernos que preconizam uma abertura internacional e a angariação de fundos privados. Conseqüência disto, por exemplo, a implantação da marca Louvre em Atlanta e em Abou Dabi. Apesar dos encantos da riqueza, as questões continuam. Devem os museus responder às leis econômicas como todo e qualquer outro produto de consumo, se indignam seus detratores ? Tendo em vista os últimos valores financeiros e o peso econômico do Louvre, esse debate tão recente chega a parecer distante.
A marcha para uma privatização – sem sombra de dúvida – está bem engatilhada.

 

Eventos

Alô !!! Tudo bem??? Brésil-La culture en déliquescence ! Un film de 1h08 mn

Photo extraite du film de Mario Grave - S'abonner sur notre canal Youtube  pour avoir accès à nos films :

The new novel- You can get it in Amazon or Fnac. Here is the link

Au cœur de la meseta du Nouveau-Mexique au sud des Etats-Unis, Mink un photographe français partage sa vie av...

Reportage en Arménie - Micmag 2018 sur les routes du monde - Notre film

A la découverte des cultures de pays méconnus de la planète. Micmag a fait ses valises pour se rendre entre Asie et Eur...

Jusqu'où iront ces mégapoles latino-américaines ?

Qualité de vie-Innovations-Dangers-Démesure- joie de vivre-UN DOSSIER MICMAG

Mundo vintage (clicar no título)

Naguère jouets, aujourd’hui objets de collection, les voitures miniatures déchaînent les passions : on les recherche, on les accumule. On les classe par marques, matières, échelles, thèmes… Bruno de la Tour, fervent collectionneur, en possède plus de 4 000. Il nous dévoile ses précieux modèles. L'article, ici.

Destaques de París

Qui n’a jamais rêvé de découvrir les secrets de l’espionnage ?  "Espion", l'exposition de la Cité des sciences et de l'industrie vous offre une intrigue unique imaginée à partir d’une documentation sur l’espionnage qui en dévoile l’envers du décor et est prolongée jusqu'à l'été 2021. La suite ici.

Notícias

One World Together at Home
Organisé par Lady Gaga et l’association Global Citizen, en soutient à l’OMS, un concert confiné  se déroulera dans la nuit de ce samedi à dimanche. Au programme, entre autres, les Stones, Paul McCartney, Elton John... Où le suivre depuis chez nous ? Voir ici.

 
Sale virus !
Hello Christophe ! Celui que nous avions rencontré chez lui pour nous parler en esthète d'objets de collections années 60, de sons et de nuits inventives vient de succomber au Covid. Sale virus !
 
Les paroles de Hey Jude adjugées à 910 000 dollars
Le 10 avril, jour anniversaire de la séparation des Beatles, les paroles manuscrites de Hey Jude ont été vendues 910 000 dollars aux enchères. Paroles écrites par Paul pour réconforter le fils de John, après la séparation de ses parents.
 
Paul McCartney: la tournée française reportée
La productrice de la tournée française, a indiqué qu’elle travaillait au report des quatre concerts en France, prévus entre fin mai et début juin, et qui pourraient avoir lieu en 2021
 
Dur dur covid 19 - Micmag touché !
Micmag dans la douleur après la perte d'un ami et co-fondateur de Micmag.net. Thierry Bommart  (informaticien) a succombé suite à une insuffisance respiratoire. Jean-Louis Langlois qui a filmé plusieurs de nos reportages TV a plongé dans le noir puis est en cours de récupération.

Disco da semana

Au coeur de la France rurale- Bistro picard - 2016 - ©HM

Send your picture to be published at  : contact@micmag.net