07-07-2011 15:39:42

Exclusif ! José Mojica Marins - célèbre acteur maudit du cinéma brésilien !

Personnage folklorique de la culture brésilienne, révolutionnaire, maudit, marginal. 63 ans de cinéma, José Mojica Marins a créé le personnage mythique de Zé Do Caixão (un drôle mister horreur).

Entretien Daiverson Machado (Rio de Janeiro)



José Mojica Marins criador do mitológico personagem Zé Do Caixão, sempre traz em suas palavras, novos projetos, idéias de roteiros e a vontade de sempre produzir, apesar das dificuldades de se fazer cinema.Cineasta pioneiro em produzir filmes de horror no Brasil e criador do primeiro personagem de terror feito originalmente para o cinema, o diretor começou a fazer filmes ainda jovem, aos 10 anos. Seu pai trabalhava em uma sala de cinema no centro de São Paulo e ele passou a filmar pequenos curtas e projetá-los para pagar as despesas da produção. Desde então, grande parte de sua obra foi feita com pouca verba.Com grande identificação com o público jovem, tendo se apresentado junto de bandas de Heavy Metal, o cineasta confunde-se com seu personagem e às vezes não sabemos se é Mojica ou Zé do Caixão quem nos fala.Redescoberto pela crítica internacional, Cofin Joe (como é conhecido no exterior), foi elogiado pelas principais revistas de cinema do mundo, dentre elas a Cahiers Du Cinema. Homenageado no Sundance Film Festival de 2001 com uma Menção Honrosa, o cineasta foi apresentado como "Bela Lugosi dos trópicos".Cultuado por jovens cineastas que hoje produzem filmes em celular e câmeras caseiras, inspirados pelo mestre, o cineasta sobreviveu à margem da indústria, produzindo filmes de terror com a nossa cara, que hoje são reconhecidos no mundo todo.

Micmag.net : O que você diria à um jovem que quer fazer cinema?

A sétima arte é a coisa mais forte que nós temos. Fazer cinema é fazer algo cultural e faz você se elevar mais que os outros, tornando-se com o tempo, um ser completo. Em minhas viagens, eu incentivo novos cineastas a se mobilizarem junto aos governos, até mesmo a realizar passeatas com o Presidente da República em busca de verbas.e principalmente que estas verbas tenham destinação corretas.

M : Qual experiência mais assustadora que você já teve na vida?

Já dormi em cemitérios, necrotério para ver se encontrava alma penada, seres de outro mundo ou alguma coisa nesse sentido, mas não vi nada, por isso não acredito. Mas a experiência mais assustadora da minha vida aconteceu há mais de 10 anos no Rio Grande do Sul, quando eu, minha companheira, amigos e equipe de filmagem, conhecemos um homem que dizia ter vindo dos EUA com a esposa . Em uma quarta feira de cinzas, ele nos convidou para visitar uma fazenda, propondo-nos então, que ficássemos até na sexta feira. Este homem mostrava ser uma pessoal “legal” e durante a conversa, começou a falar sobre sacrifício de animais e me perguntou o que eu achava sobre sacrifícios humanos. Eu inventei uma história dizendo que isso trazia uma energia negativa que acompanhava e prendia a pessoa para o resto da vida e esta começava a fazer coisas erradas e que era recomendável evitar sacrifício de humanos. A partir daí, eu comecei a me apavorar. O sujeito apresentou- me o pai, fundador de uma cidadezinha do Rio Grande do Sul, juntamente com a mãe. Já estavam há 20 anos numa cama gemendo. Até aí, o susto foi tão grande que amigos e equipe de filmagem que me acompanhavam saíram do local, restando-me apenas a minha companheira. O homem pergunta o que nós achávamos de acabar com aquilo. Nós demos a entender que era perfeito. Eu pedi para ser liberado, juntamente com minha companheira, amigos e equipe de filmagem. O homem propôs irmos à igreja após o jantar. O local do jantar era repleto de ratos, gatos, um local muito feio. Após o jantar, seguimos rumo à igreja. Chegando lá, eu descobri que o homem expulsou o padre, consequentemente, encontraram a igreja completamente vazia. Foi feito uma churrascada com vinho, então o homem pediu que eu fizesse um discurso como Mojica e em seguida outro como Zé do Caixão. Naquele momento, eu já acreditava estar com os dias contados. Aquele homem dizia não gostar de humanos. Senti meu medo aprofundar-se, comentei com minha companheira que o homem parecia querer nos matar. Pensei em inventar algo assustador, sabia que não poderia demonstrar medo, senão poderia ter realmente as nossas vidas ameaçadas. O homem após apresentar os pais, agora queria apresentar o filho, os avós... estávamos num cemitério nos fundos da casa daquele homem. Os ossos estavam fora da terra! Para mim, aquele era o teste final. Ou topava ou virava cadáver eu e a minha companheira. Ao ser apresentado para o “tio”, eu cumprimentei o cadáver. Com as “primas” tive que dançar valsa com o esqueleto, beijá-lo, enquanto era observado pelo homem e seu secretário. Ao fim, tudo terminou bem. O homem após tudo isso disse ter gostado de mim, tornaram-se meus fãs e sugeriu que fizéssemos um filme de vampiro juntos. De volta à São Paulo, eu e minha companheira fizemos um apanhado do caso, denunciamos ao governo gaúcho e ao Jornal Folha de São Paulo, então descobrimos que para aquele local eram levados jovens sem família. Após investigação o homem foi preso.

M : Eu vi em uma entrevista, você falando que um dos primeiros filmes que te deu medo, foi um filme sobre doenças venéreas. Você acha que o ser humano assusta mais que qualquer alma do outro mundo?

Senti muito medo ao assistir um filme sobre doenças venéreas, mas o que mais me mete medo é o ser humano, pois esse, na minha opinião, faz realmente mal.

M : Quais são seus próximos projetos?

Tenho viajado até Pouso Alegre, Sul de Minas Gerais, para descobrir mais sobre uma lenda de um homem que cometeu um estupro, onde a população pegou, matou e o enterrou. Mas descobriram que após um ano a terra não havia comido a carne e que de tempo em tempo ele levantava uma das mãos. Então a população queimou o corpo e jogou as cinzas no mar. No tempo em que eu estiver lá, pretendo oferecer duas oficinas na cidade, além de fazer um filme relativo a essa lenda, cujo nome escolhido é “Corpo Seco”.

M : Mande-nos uma de suas pragas:

Eu como Zé do Caixão vou jogar uma praga aos políticos corruptos do Brasil: “A todos os políticos corruptos, que fazem a sua vida sem olhar para o próximo, principalmente a quem o elegeu aqui vai a minha praga: “Que sua língua se transforme em cobra e devore todas as suas entranhas, que sua parte sexual acabe completamente e suas tripas fiquem se arrastando com você por toda a eternidade, sentindo os horrores do que vai acontecer.


  • Facebook
  • Google Bookmarks
  • linkedin
  • Mixx
  • MySpace
  • netvibes
  • Twitter
 

ÉVÉNEMENTS

VINTAGE & COLLECTIONS

Eté 1967, les Procol Harum sortent le "slow qui tue", "A Whiter Shade of Pale", une des chansons les plus diffusées de ces dernières années et une des plus reprises. Et la dernière version se trouve dans le nouvel album de Santana,"Blessings and Miracles". Lire la suite, ici.


SORTIR À PARIS


Paris - Jusqu'au dimanche 2 janvier 2022
Dalí, l'énigme sans fin

L'Atelier des Lumières vous propose jusqu'au 2 janvier 2022 une balade dans les oeuvres du plus insaisissable des Catalans, Salvator Dali. Une exposition immersive sur une bande son des Pink Floyd. A ne pas rater. Lire la suite, ici.



ATELIER DES LUMIÈRES
38 RUE SAINT-MAUR
PARIS 11E
16 EUROS

BRÈVES

Journée nationale contre le harcèlement scolaire

Depuis le 1er janvier 18 enfants se sont suicidés en France et, chaque année, plus de 700 000 élèves sont victimes de harcèlement scolaire soit près d'un enfant sur dix. En savoir plus, ici.

 
Une messe pour la mémoire d'un cruel dictateur
Le 20 nov 2021 jour de la mort du dictateur Franco a eu lieu une messe à Grenade où assistait le numéro du PP (parti de droite). Une droite qui refuse le travail de mémoire et une reconnaissance des fosses aux 110 000 assassinés
 
Un enregistrement inédit de Lennon mis aux enchères

Estimé entre 27 000 et 40 000 euros, une cassette audio avec un enregistrement inédit de John Lennon va être mise aux enchères à Copenhague le 28 septembre. Il y chante une œuvre inédite, réalisée en 1970 lors d’un séjour méconnu au Danemark.

 
Brésil-Le ministre de l'environnement fier acteur de la déforestation
Cynisme en politique ! Salles, l'ex ministre de l'environnement est un fier acteur pris la main dans le sac du déboisement amazonien pour enrichissement familial.
 
Le salon Livre Paris devient un Festival
En 2022, le Salon du livre change de nom et de formule. Il s'installera, du 21 au 24 avril, au Grand palais de Paris, mais aussi dans la proche couronne parisienne et, à terme, dans toute la France.