26-01-2011 14:44:42

Entrevista de Pavel Giroud cineasta, diretor de vários filmes premiados fala com liberdade !




 

Micmag.net : Seu sobrenome é de origem francesa ?

 Pavel Giroud : Meus antepassados vieram do Haiti fugindo da revolução preconizada por *Louverture. Eles se instalaram na zona leste da ilha onde desenvolveram plantações de café.

 M. : O que você acha de ser chamado o Truffaut cubano  pela crítica internacional ?

 P. G. : Foi por causa do filme “La edad de la peseta”. Acho que pelo fato do ator principal ser jovem, a crítica o assimilou ao filme “400 coups”. É engraçado porque Truffaut como cineasta não me deixou uma boa lembrança. Eu era muito jovem quando vi esse filme e o achei muito chato.

 M. : Existe uma verdadeira produção cinematográfica cubana ? Quantos cineastas se destacam ?

 P. G. : Atualmente está havendo uma explosão, como em todos os outros lugares. A moçada com suas câmaras amadoras estão começando a mostrar coisas interessantes… Tem um diretor que sobressai, é o Fernando Perez. Mas aqui não há meios de ter uma produção independente. Existe um potencial para desenvolver um cinema mas, é preciso dinamitar os caminhos estreitos por onde se passa. É preciso criar novas rodovias.

 M: Com que atores do universo do cinema você gostaria de trabalhar ?

 G. P. : Se eu lhe dissesse que gostaria de trabalhar com Javier Bardem um ator muito forte, mas também com Sean Penn ou Daniel Day Lewis… Eu gostaria de poder sempre trabalhar com o ator cujo rosto aparece no momento em que estou escrevendo o roteiro. Acho ridículo puxar os olhos da Meryl Streep pra que possa interpretar o papel de uma chinesa, quando há pelo mundo afora tantas boas atrizes chinesas.

 M. : Parece que o cinema cubano escapa à censura política… É um desejo político ter um cinema cubano ?

 G. P. : A censura atinge todos os domínios. A censura é também aquela que você se impõe, a que é estabelecida pelo poder político, pelo poder religioso, pelo poder dos produtores e assim vai até à censura do mercado. Não creio que o cinema cubano seja menos censurado. Acho que os cineastas são mais ousados.

 M. : Você faz parte dos jovens cineastas que viajaram, viram o que acontecia no estrangeiro e assim mesmo apesar dos problemas, resolveu viver em Cuba ?

 G. P.: Viver em Cuba é difícil. Mas foi bem mais difícil para o Tarzan crescer numa floresta e brincar com filhotes de tigre. Pode ser que me falte óleo justamente no dia em que eu quero fritar um ovo. O ovo também pode me faltar. Posso lavar meus cabelos com um shampoo que me dá caspa… um apagão pode ocorrer bem na fase final da redação do meu novo roteiro… mas para mim é mais importante ter um espaço para a criação. E eu tenho este espaço o tempo todo. Eu não falo em voz baixa na minha casa nem por código ao telfone… Há quem tenha escrito sua melhor obra dentro de uma prisão estreita sem ver a luz do dia. Resumindo, você conhece algum cineasta cubano que tenha realisado uma obra digna de interesse longe da terra dele ?

 M. : Seu próximo filme ?

 G. P.: Deveria ser "El acompanante" um  roteiro premiado em 2010. Mas na hora de decolar o projeto capotou. O produtor ideal não apareceu. Tenho um outro projeto cujo título é  "7 balas" e que é um projeto fácil de ser produzido. Este ano meu melhor filme se chama Roman ele tem um mês e pesa 4.50 quilos.


Entrevista realisada por H M

Intrevista integral

*Toussaint Louverture - (1743-1803) escravo haitiano, primeiro líder negro contra os impérios coloniais, chegou a ser governador-geral do Haiti.

 

Eventos

Mundo vintage (clicar no título)

Vous voulez tout connaître sur la Saint Valentin ? Son origine, ses rites, ses pratiques ? La rédaction de micmag.net vous a concocté un bon petit dossier… Lire la suite, ici.



Destaques de París

Qui n’a jamais rêvé de découvrir les secrets de l’espionnage ? Les clichés et les fantasmes sur le monde du renseignement sont nombreux, mais quelles sont leurs limites  ? "Espion", l'exposition de la Cité des sciences et de l'industrie vous offre une intrigue unique imaginée à partir d’une documentation sur l’espionnage qui en dévoile l’envers du décor… La suite ici.

Notícias

Bowie donne son nom à une rue

Le 10 janvier, le maire du XIIIe arrondissement de Paris a confirmé qu'une rue prendrait le nom de David Bowie dans le quartier de la gare d'Austerlitz. Un vote est prévu en février.

 
Marbella, le paradis et l'enfer des narcos
Marbella,  refuge de milliardaires en Espagne, 6 assassinats en pleine rue en trois mois. Le dernier, un français de 60 ans. Guerre de clans de narcos ? La police est muette.
 
Le sous marin des narcos
Sur les côtes de Galice (Espagne), la police a repéré un sous marin chargé de 3000 kg de cocaïne pure estimé à plus de 100 millions d'euros. 2 personnes arrêtées et une autre en fuite. Une première en Europe. 
 
Mortel selfie
Selon une étude du All India Institute of Medical Sciences de 2018, les accidents de selfies ont fait 259 morts dans le monde entre octobre 2011 et novembre 2017.
 
"Bowie m'a montré son gros sexe pour me remercier d'une ligne de coke"
C'est ainsi que s'exprime dans son livre  Face it, la chanteuse Debbie Harry (74 ans aujourd'hui) du groupe Blondie. Elle termine par :"le sexe de David était je dois bien l'avouer impressionnant."